segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Palestras motivacionais

Os entusiastas que me perdoem, mas palestras motivacionais não me descem na garganta. Elas funcionam quase como uma seita religiosa. Tudo o que o palestrante fala, a plateia responde amém. Ele mal termina a frase, e já ouvem-se palmas, gritinhos estusiasmados e, muitas vezes, até choros emocionados. Suas frases viram citações, murais, imagens no Facebook, quase como se fosse uma citação bíblica, uma frase de Einstein, Freud ou Platão ou, pior, um verso Pessoa ou Drummond. Mas não me convence. Esses palestrantes podem até ter uma história de vida muito interessante para ser contada, podem até dar bons conselhos, mas o espetáculo que fazem em cima dos seus discursos torna tudo muito falso para mim. E eles acabam tornando-se, somente, bons de lábia. Assim como os pastores de algumas igrejas, os malandros, os golpistas, os cafajestes, os vendedores de enciclopédia e os políticos.