quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

...

Foto: https://www.flickr.com/photos/84744710@N06/

Enquanto, insone, você mergulha nas angústias inacabadas, são meus pesadelos que me inquietam. Você querendo dormir para acalmar a alma, eu desejando que o sono não venha para que meu coração não se agonie de novo. Então eu me lembro do início, quando alertaram que entre nós existia uma conexão difícil de ser desfeita, um elo de almas que não se desligam facilmente. Talvez por isso o silêncio tenha sempre falado por nós. O olhar, o tom de voz, os gestos sempre disseram mais do que as palavras... nós nunca precisamos delas. Mas sempre precisamos um do outro para decifrar tanto sentimento sufocado, para estimular os planos ainda não desfeitos e embarcar nos sonhos impossíveis. Difícil ter que caminhar com as próprias pernas...