sexta-feira, 11 de julho de 2014

Não, meu amigo.

Não, meu amigo, esquece, ela não quer esse tipo de amor. Esse amor dependente, devoto. Não.

Ela quer ser admirada, não idolatrada. Ela quer alguém que caminhe ao seu lado, não alguém que só corra atrás.

Não, ela não quer, de jeito nenhum, que você mude seus sonhos por ela. Não quer que você viva a vida dela. Nem que você concorde o tempo inteiro ou faça todas as suas vontades. Ela não quer esse olhar de quem não enxerga quem ela realmente é, com um monte de defeitos. Nem alguém que a ache infalível.

Ela não quer ser responsável pela sua felicidade, pelo seu sucesso, pelas suas boas lembranças. Ela não quer dividir nada com você, quer alguém que some na vida dela. Não quer esse mar de rosas, essa vida colorida que você promete. Quer um oceano de águas agitadas, com marolas e ondas altas, com calmarias e tempestades. Quer uma vida com cores, mas com cenas em preto e branco também.

Ela quer alguém que faça rir acima de tudo. Que seja companheiro, mas que a conteste e a contrarie quando for preciso. Quer alguém que dê colo, mas dê bronca também. Que a deixe com saudade, de verdade, e depois mate essa saudade da maneira mais intensa possível. 

Alguém que a ame e a desafie. E que tope fazer da vida a dois uma aventura.