quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Esse dia

Eu nunca vou esquecer o dia em que meu peito doeu como nunca e eu queria explodir. Fiz o menos aconselhável nessas horas: bebi. Sempre tão fraca, aquela vodka bateu com muito mais força no meu sofrimento e fez sangrar, sangrar em lágrimas. A única coisa que eu esperava e implorava mentalmente para você me dar, era um abraço e a possibilidade de colocar minha cabeça no seu peito pra ver se seu coração ainda batia por mim. Você não me escutou. Rejeitou minhas lágrimas e minha dor, virou para o lado e pediu para que eu o deixasse dormir. Isso, mais do que todos os outros episódios infelizes subseqüentes, eu nunca esqueci. E mesmo quando todo o resto sumir da minha memória, isso ainda vai pesar. Como pesou hoje o dia inteiro.