sábado, 16 de fevereiro de 2013

Ladrões de sonhos

Tudo o que eles haviam construído foi por água abaixo. O amor, a amizade, o respeito, a cumplicidade. Mas o pior foram os sonhos...

Ela já se via naquele apartamento com ele, já havia dado presentes e ganhado presentes para a futura casa. Conhecia cada canto do local (afinal, ajudou a escolher e a arrumar), sabia o que faria em cada cômodo, em cada cantinho para ficar com a cara deles.

Imaginava a vidinha dos dois ali dentro, a rotina, os jantares, as risadas. Via ele sentado no sofá rindo enquanto ela jogava Wii (ele não gostava de jogar, mas até seus olhos sorriam quando a viam se divertindo assim). Via ela olhando para ele enquanto ele lia, tão compenetrado (conhecia-o tanto que achava graça dos tiques que ele tinha quando lia, sempre os mesmos). Via o quanto seriam felizes juntos.

Só que, de repente, dissolveram a nuvem na qual estavam sentados, sem nenhum aviso, e ela desabou.